segunda-feira, 22 de setembro de 2014

FILHA DE VIEIRENSES, É ELEITA MISS TENENTE ANANIAS, E VAI DISPUTAR MISS RN 2015

A passarela por onde as candidatas desfilaram foi montada no mercado Publico Municipal, da cidade dos minérios.

As meninas eram lindas e o desfile foi bem organizado. As 6 candidatas à coroa apresentaram seus trajes típicos em um desfile cheio de glamour com: fantasia, esporte, esporte fino,biquíni e roupa social. A nova MISS, é filha dos vieirenses José Sobrinho Neto(comerciante) e Maria do Socorro da Silva(dona de casa), mais conhecido por Zezinho de Luiz Hingino e Coca, domiciliados na Vila Panatis, zona rural de Marcelino Vieira, onde passou sua infância. KATIA, 24 anos, 53 kg, 1,75 de altura, acadêmica de Assistente Social da Anhanguera Uniderp(Pau dos Ferros), nunca tinha participado de concurso, disputou com 6 belas garotas, ganhou em 1º lugar e vai representar o município de Tenente Ananias no concurso Miss RN 2015. O 2º lugar no concurso, foi para a bela jovem Luana(esta de rosa). Lema para o concurso: "enquanto houver sonhos, existirá possibilidades ". Desde já a MISS, agradece a seus pais e familiares pelo carinho e apoio. Este Blog parabeniza a eleita pelo título maior e parabeniza também a cidade de Tenente Ananias por incentivar o concurso, deseja boa sorte na nova jornada. 
 Fonte: Verônica Rodrigues às 11:08

Leia mais...

PEGARAM PESADO: PROGRAMA ELEITORAL COMPARA ROBINSON FARIA A ROSALBA CIARLINI E MICARLA DE SOUZA

Mais uma aventura. Aparência de novo, mas uma história de 28 anos na política potiguar sem nenhuma obra relevante. Com esse tom, o programa eleitoral de Henrique Alves veiculado ontem apresentou fortes críticas ao seu adversário, Robinson Faria, e comparou o candidato do PSD a Rosalba Ciarlini e Micarla de Sousa. A propaganda bateu pesado em Robinson Faria contradizendo o seu discurso de que é o novo na política. Sob essa linha de raciocínio, apesar de aparecer como uma novidade, Robinson não é mais do que a mesma safra de políticos que ele tanto critica. “O Rio Grande do Norte não suporta mais nenhuma falsa novidade. Natal e o estado já viram esse filme antes, e saíram perdendo no fim. Um candidato se passando por “novo”, quando a verdade é que ele já está na política há vinte e oito anos. Está no quarto partido, apoiou e participou de seis governos”, disse o locutor durante a propaganda eleitoral. Além disso, Robinson foi vinculado diretamente a Rosalba Ciarlini e Micarla de Sousa, que também se apresentaram como novidade e acabaram decepcionando a população como governadora e prefeita, respectivamente. “Você se lembra de outras eleições: Micarla e Rosalba também pareciam novidades. Robinson é tão parecido com elas que votou nas duas e até participou das duas gestões”, questionou. Como se sabe, Micarla de Sousa nem mesmo conseguiu terminar o seu mandato e ostentou índices de rejeição perto dos 90%. Rosalba Ciarlini vai pelo mesmo caminho, com grande desaprovação popular. A comparação entre os feitos de Henrique Alves e Robinson Faria também foi uma forma de desconstruir a imagem do vice-governador. Robinson foi apresentado como o vice-governador de Rosalba, um detentor de mandato de deputado estadual por 28 anos sem nenhum projeto de peso e uma “novidade” arriscada, assim como Rosalba e Micarla. Já Henrique foi apresentado como presidente da Câmara dos Deputados, capaz de conseguir recursos para o Estado em Brasília e a representação da mudança sem risco. “Chegou a hora de comparar e escolher. De um lado, temos o atual Presidente da Câmara. Do outro, o vice-governador. De um lado, conhecimento para abrir portas em Brasília. Do outro, 28 anos de vida pública, sem trabalhos de peso pelo estado. De um lado, a mudança sem arriscar. Do outro, a novidade. Tipo Micarla”, comparou o texto do programa de TV. A comparação entre os dois candidatos foi colocada pela propaganda eleitoral de Henrique Alves como fundamental para que o eleitor consiga escolher de maneira segura o próximo governador do Estado. “Antes de votar, a gente compara os candidatos: a história, as ideias e propostas que apresentam. Compara também a força política de cada um, aqui no estado e lá fora”, iniciou. O vice-governador, Robinson Faria, saiu perdendo na comparação. “Porque sem força política, sem capacidade de unir e liderar, ninguém governa direito. Ninguém consegue recursos para trabalhar pela população. É por isso que é importante comparar”, prosseguiu. E complementou: “Não adianta inventar: nesse momento de crise do Governo, com tantas mudanças que precisam ser feitas, Henrique é o nome certo, no lugar certo, na hora certa”. A capacidade de Robinson Faria de resolver o problema da segurança foi outro ponto explorado.“Uma das tarefas mais urgentes do próximo governo é mudar a segurança pública. O governo do qual Robinson é vice parece sem força para enfrentar o problema. Henrique tem propostas claras e viáveis para melhorar a segurança. A população pergunta como ele vai fazer, Henrique responde”, discutiu. E complementou: “Robinson candidato promete mais segurança, mas o Robinson vice-governador mantém 14 policiais militares em seu gabinete. Em qual Robinson acreditar? O que diz que vai cuidar da segurança da população ou o que sua própria segurança?”. Jornal de Hoje

Leia mais...

Neto de Fittipaldi é campeão da Fórmula Renault Inglesa Postado por Verônica Rodrigues às 21:11 A família Fittipaldi está de volta ao automobilismo de alto rendimento. Neste domingo, o garoto Pietro Fittipaldi, neto de Emerson, garantiu com duas etapas de antecedência o título da Fórmula Renault Inglesa, uma das mais importantes categorias europeias de monopostos para garotos, uma escola para a Fórmula 1. Aos 17 anos, Pietro foi quase perfeito na temporada. Das 13 corridas realizadas até agora, ele venceu nada menos que dez. Neste domingo, em rodada dupla no Circuito de Croft, o neto de Emerson venceu uma das provas – na abertura, ficou na segunda posição. “Pietro está correndo brilhantemente bem. Após dez vitórias em 13 corridas, ele conquistou o campeonato inglês da Fórmula Renault. Estamos imensamente felizes e orgulhosos”, disse Emerson Fittipaldi, via assessoria. O piloto da MGR Motorsports superou o companheiro de equipe na disputa pelo título – o italiano Mateo Ferrer ficou na terceira posição na primeira corrida em Croft. A Fórmula Renault britânica ainda terá duas provas até o término da temporada. Estadão Conteudo

Leia mais...

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Começa hoje prazo para matrícula da segunda chamada do Sisu

Começa hoje (27) o prazo de matrícula para a segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que vai até 2 de julho. O resultado da segunda chamada está disponível no site do Sisu. Os candidatos que não foram selecionados podem participar da lista de espera.
O candidato selecionado deverá verificar, na instituição de ensino em que foi aprovado, o local, horário e os procedimentos necessários. As instituições não receberão matrículas no fim de semana. Caso não cumpra o prazo, o candidato perde a vaga.  
Aqueles que não foram selecionados em nenhuma das chamadas poderão acessar o boletim pessoal no site do Sisu e clicar no botão que confirma o interesse em participar da lista de espera. Também podem integrar a lista os candidatos que foram selecionados na segunda opção de curso, mesmo os que já fizeram a matrícula.
A lista de espera é apenas para a primeira opção feita na hora da inscrição. O prazo de adesão vai até 7 de julho. Os candidatos serão convocados pelas instituições a partir do dia 14 do mês que vem.
O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação (MEC) no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A seleção tem duas edições a cada ano.
Puderam participar desta edição aqueles que fizeram o Enem 2013 e não tiraram 0 na redação. Segundo o MEC, 1.214.259 candidatos se inscreveram. Foram ofertadas 51.412 vagas em 1.447 cursos de 67 instituições de educação superior federais e estaduais.

fonte: Agência Brasil

Leia mais...

Eletrosul inaugura usina de energia solar para venda no mercado livre

A Eletrosul, subsidiária da Eletrobras, inaugura hoje (27) em Florianópolis uma usina de energia solar acoplada ao prédio da sede administrativa da empresa. O projeto tem 4,2 mil painéis fotovoltáicos instalados em uma área de 8,3 mil metros quadrados no teto do edifício. Apesar de o prédio absorver parte da energia, o objetivo principal não é atender ao consumo da empresa e de unidades vizinhas, e sim vendê-la no mercado livre.
"Comercialmente, temos contrato com uma pequena central hidrelétrica que atende à demanda [do edifício da Eletrosul]. Pode ser que a partir de 2015 a gente troque o contrato [passando a atender a toda a demanda local com a energia da usina solar]. Vamos avaliar. Mas, por enquanto, o objetivo é comercializar e divulgar [a tecnologia]. Nas cidades do futuro, haverá muitos prédios assim. Queremos estar prontos para o boom [da energia solar] ", explica Ronaldo Custódio, diretor de Engenharia e Operação da Eletrosul.
De acordo com ele, o primeiro leilão para comercializar energia da usina deve ocorrer em agosto deste ano. O investimento no projeto, de R$ 9,5 milhões, foi financiado pelo banco de fomento alemão KfW.
Considerada sustentável, a energia solar sai mais cara do que opções como as hidrelétricas e termelétricas. Segundo Ronaldo Custódio, uma usina solar, com financiamento em condições idênticas ao de uma hidrelétrica, pode sair de cinco a sete vezes mais cara. Depois de construída, no entanto, ela tem a manutenção menos dispendiosa. "A hidrelétrica até tem um impacto ambiental global menor, embora tenha impacto local tanto do ponto de vista ambiental quanto social", comenta.
Com capacidade instalada de 1.000 quilowatts, o suficiente para atender a 540 residências, a usina é o maior empreendimento na América Latina com produção de energia acoplada a um prédio. Além disso, é a única com esse conceito a gerar energia para comercialização.
Para Ricardo Baitelo, coordenador da Campanha de Energias Renováveis do Greenpeace Brasil, a usina de energia solar é um marco importante. "Eu acho que é uma iniciativa bem-vinda, junto com Tanquinhos e Tauá [usinas de energia solar respectivamente em Campinas, São Paulo, e no interior do Ceará]. Serve para mostrar que a energia solar é uma opção viável para a segurança energética", diz.
Baitelo acrescenta que as iniciativas de maior porte têm avançado mais do que a implantação de pequeno porte e doméstica da energia solar, que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) buscou incentivar em 2012, aprovando resolução que previa desconto na conta de luz para residências e empresas microgeradoras que fornecessem excedente.
"Esse é outro capítulo, que caminha mais devagar. A gente tem alguns problemas a transpor, principalmente o financiamento". Segundo ele, as linhas de crédito ofertadas pelos bancos atualmente não têm prazos e taxas de juro satisfatórias. "Um projeto de energia solar que atenda a uma família pode custar de R$ 15 mil a R$ 20 mil. Se vai ter uma economia de R$ 30, R$ 40, R$ 50, o ideal é que o custo do financiamento seja esse. Estamos dialogando com governo e bancos. É um mercado com potencial muito grande", observa.

fonte: Agência Brasil

Leia mais...

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Estímulo à integração de pesquisadores e empresas começa a valer em 2015

O Programa Nacional de Plataformas do Conhecimento, lançado ontem (25) pelo governo federal, vai começar a valer a partir de 2015, mas a expectativa do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina Diniz, é que os primeiros editais sejam lançados ainda neste ano. Em entrevista a jornalistas, o ministro citou as áreas consideradas prioritárias e disse que a aplicação de recursos no programa vai depender de vontade política do governo.
De acordo com Clélio Campolina, os projetos prioritários do programa são saúde, agricultura e energia. “O projeto é uma articulação de conhecimento científico com o sistema produtivo empresarial. O que constitui a plataforma é a base científica - liderada por um ou mais cientistas, em uma instituição científica - e o sistema empresarial de outro lado”, explicou.
Com base no programa, serão lançadas plataformas como medicamentos, vacinas e serviços na área de saúde, por exemplo. Outras previsões de plataformas são em petróleo, engenharia básica e bioenergia na área de energia, e de melhoramento genético e mudanças climáticas na agricultura.
O ministro disse que não é possível indicar o valor do orçamento federal que será investido no programa, mas adiantou o cenário com que se trabalha: “Nós temos uma ordem de grandeza que as plataformas deveriam ter da ordem R$ 2 bilhões por ano. É uma estimativa preliminar. Sendo que no primeiro ano, que será em 2015, você não terá essa demanda”, informou. Segundo ele, os exemplos internacionais indicam que cada plataforma pode custar entre US$ 100 milhões e 200 milhões por ano, dependendo da natureza.
De acordo com ele, um comitê gestor - integrado pelos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia e Inovação - vai definir as plataformas que lançarão os editais. “Será uma composição de uma agência de fomento e uma agência de financiamento. Por exemplo: o CNPQ [Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico] e o BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] lançam uma plataforma conjunta, e vai identificar o que precisa de suporte à pesquisa científica, como laboratórios - que seria o fomento - e o que vai ser financiamento para as empresas”, explicou.
Já no que diz respeito aos investimentos, o ministro disse que a parte de financiamento virá de cada uma das instituições que já o fazem no país, e que a parte de fomento vai depender da natureza de cada plataforma. “O sucesso e a quantidade da plataforma vai depender da quantidade de dinheiro que o governo esteja disposto a colocar”, disse, informando que devido a esse motivo o comitê gestor será composto também pelos ministérios da Fazenda e do Planejamento. “Não vai ter nenhum efeito sobre orçamento de 2014. No orçamento de 2015, vai depender da vontade política do governo de pôr mais ou menos dinheiro”, acrescentou Campolina.
O ministro disse ainda que poderão ser convidados especialistas internacionais para julgar, de modo mais criterioso, as plataformas, e elas deverão ter um sistema de acompanhamento para avaliar a sua execução e, se necessário, determinar a sua interrupção, caso não haja desempenho satisfatório.

fonte: Agência Brasil

Leia mais...

STF autoriza trabalho externo para José Dirceu

Por maioria de votos, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou ontem (25) o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu a trabalhar durante o dia em um escritório de advocacia em Brasília. Dirceu vai prestar serviços no escritório do advogado José Gerardo Grossi, em Brasília. Ele vai ajudar na pesquisa de jurisprudência de processos e na parte administrativa com salário de R$ 2,1 mil. A jornada é das 8h às 18h, com uma hora de almoço.
Os ministros aceitaram recurso da defesa contra decisão do presidente da Corte, Joaquim Barbosa, que rejeitou a autorização em maio, por entender que Dirceu e os demais apenados não cumpriram o mínimo de um sexto da pena para terem direito benefício. O ex-ministro foi condenado a sete anos e 11 meses de prisão em regime semiaberto. Com base no entendimento, José Dirceu nem chegou a ter o benefício autorizado.
Ao divergir de Barbosa, a maioria do plenário concordou com o voto do relator das execuções penais dos condenados, ministro Luís Roberto Barroso. Para o ministro, não é necessária a exigência de um sexto da pena para que o condenado em regime semiaberto possa deixar a prisão durante o dia para trabalhar.
Segundo Barroso, a jurisprudência sobre o assunto é antiga no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o entendimento contrário não pode ser alterado somente para os condenados no processo do mensalão. “A negação ao direito ao trabalho externo para reintroduzir a exigência do prévio cumprimento da um sexto da pena vai ao desencontro das circunstâncias do sistema carcerário de hoje.”
No caso específico de Dirceu, o relator afirmou que o trabalho externo em um escritório de advocacia é inconveniente, no entanto, a questão não impede que a autorização seja concedida. Na decisão, o presidente da Corte avaliou que a proposta de emprego era “uma ação entre amigos”.
Com o recesso no Judiciário , que começará na terça-feira (1º), os recursos do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares,  do ex-deputado federal Romeu Queiroz e advogado Rogério Tolentino,  ligado ao publicitário Marcos Valério,  poderão ser decididos individualmente por Barroso. Todos tiveram o benefício cassado por Barbosa, com os mesmos argumentos. 

fonte: Agência Brasil

Leia mais...

  ©Rádio Vitória FM 104,9Mhz - Marcelino Vieira-RN - Todos os direitos reservados.

| Topo